As cores e seus efeitos

As cores podem influenciar muito no nosso bem-estar quando a colocamos nos nossos ambientes. Elas têm o poder de transmitir sensações de alegria, tranquilidade, seriedade, serenidade, e até mesmo sensações de claustrofobia ou tristeza, se usadas inadequadamente. As cores, além disso, dão uma vida para o ambiente.

Photo by julie aagaard from Pexels

Antes de tudo, temos que entender o que são cores quentes e frias e as sensações que elas transmitem.

Cores quentes: vermelho, amarelo, laranja e marrom. Dão calor ao ambiente, incitam o dinamismo e estimulam a circulação no ambiente. Muito bom para ambientes usados para tarefas monótonas. Usadas em excesso, podem deixar o ambiente carregado e demasiado impactante.

Cores frias: azul, verde, roxo e cinza. Dão um ar mais fresco e calmo ao ambiente. São boas para ambientes cuja função seja o relaxamento. Porém, se usadas em demasia, podem deixar o ambiente monótono e deprimente. Cores frias devem ser, inclusive, usadas com cuidado em caso de pessoas com depressão.

Vamos às suas funções:

Azul: se for claro, dá sensação de serenidade, delicadeza, relaxamento, frescor e amabilidade. Se for escuro, dá uma sensação de formalidade e introspecção (nesse caso, não recomendado para pessoas depressivas). É uma cor coringa que fica muito bem com diversas cores.

Photo by Huseyn Kamaladdin from Pexels

Amarelo: dá luminosidade e sensação de alegria, vida e calor. É ligada a intelectualidade, por isso é recomendada para locais que se use a criatividade e a produtividade (vide coworking). Mas se usada em excesso pode deixar o ambiente monótono e cansativo.

Photo by Madison Inouye from Pexels

Vermelho: entusiasmo, calor e força. Apesar disso, use com moderação, pois, usada em excesso, estimula a raiva e a agressividade, e pode ser irritante aos olhos. O vermelho é a cor mais perceptível pelo olho humano. Geralmente é associada à sensualidade (se você já foi em um motel ou já viu ambientes de um em fotos, sabe do que eu tô falando).

Photo by freestocks.org on Unsplash

Roxo: Lembra nobreza e luxo, e em tons claros, transmite espiritualidade. É uma cor calmante se usada moderadamente, mas se usada em excesso, pode se tornar deprimente, bem como o azul. Tons claros dão sensação de aconchego.

Photo by Juja Han on Unsplash

Laranja: transmite entusiasmo, força e alegria. Geralmente também é ligada à alimentação, pois dá uma sensação de fome (já viu essas lanchonetes que sempre usam amarelo, vermelho e/ou laranja, que é a mistura das duas cores? Pois é). É uma cor focalizante que deve ser usada em pontos específicos que queria atrair a atenção. Recomendada para locais que se faz refeições.

Photo by Martin Péchy from Pexels

Verde: é a cor que mais transmite frescor de todas as citadas. Dá sensação de equilíbrio e relaxamento, amenizando o estresse. É a cor menos cansativa à nossa visão. Pode ser usada em praticamente qualquer ambiente.

Photo by Ellie from Pexels

Branco: sensação de paz, pureza, limpeza e luz. O branco é uma cor um tanto controversa: para alguns é encantadora, e para outros é impessoal. Em um estilo clean ou minimalista, é usada com predominância. Em outros estilos, pode ser usada em detalhes. É a junção de todas as cores e a que mais reflete a luz natural e artificial.

Photo by Daria Shevtsova from Pexels

Preto/Cinza: geralmente associados à tristeza e a morte. Porém, se usados com moderação, podem dar um ar de elegância agradável ao ambiente. O cinza tem estado super em alta na decoração para os mais diversos ambientes. É muito usado no estilo clean.

Photo by Pixabay from Pexels

Rosa: geralmente associada a feminilidade (mas por favor, não se prenda a isso como a Damares), e que transmite delicadeza e alegria. Em tons claros, dá sensação de frescor, e em tons escuros fica mais impactante.

Marrom: transmite uma sensação de solidez, estabilidade e seriedade. É uma cor calmante, por isso recomendada para escritórios de trabalhos que exijam rigor. Mas, se usado adequadamente, orna muito bem no quarto ou na sala de estar.

Mas como usá-las ao nosso favor?

Podemos começar respondendo algumas perguntas: 

  • Que sensação eu quero que esse ambiente transmita? 
  • Quais cores eu gosto mais?
  • Qual é o estilo que eu uso/usarei?
  • Como é a iluminação do meu ambiente?

Com isso, você poderá identificar qual a melhor cor para colocar no seu cantinho.

Agora vamos às dicas

Primeiro ponto:  Se você quer algo mais alegre e sem carregar o ambiente, use tons claros nas paredes e invista em pontos de cor por meio dos objetos que você puser no ambiente. Se você quer algo mais imponente, poderá usar uma cor mais fria e escura, mas nesse caso, faça um contraponto nos objetos decorativos usando neles cores mais claras, pois, ao usar muitas cores escuras, o ambiente pode ficar carregado, tirando a sensação de conforto.

Segundo ponto: se você é do tipo mais decidido (ou decidida) com as cores que gosta, se joga. Mas se você é como a minha mãe, que adora todas as cores, minha sugestão é que você busque por ambientes que estejam dentro do seu gosto e estilo em sites como o Pinterest (que é a nossa mão na roda e buraco sem fundo ao mesmo tempo, e que amamos). Mas cuidado: ao usar o Pinterest, use para se inspirar. Não adianta querer copiar um ambiente, pois sua necessidade é diferente da necessidade do dono do ambiente que você escolheu, e seu espaço também não é o mesmo. Esse é um erro comum que algumas pessoas cometem ao ver um ambiente lindo e maravilhoso pronto.

Terceiro ponto: Se você já tem um estilo definido, use isso para decidir as cores, de acordo com seu gosto e com a sensação que você quer. Se você quer um cantinho mais romântico, por exemplo, pode usar um azul clarinho ou rosa chá, mesclando com branco e outras cores pastéis nos demais elementos. Se você ainda não sabe qual seu estilo, corre para o Pinterest que ele te responde, sério. Tive uma cliente que não sabia bem o que queria, nem que estilo gostava. Fizemos uma busca no Pinterest com alguns elementos que ela me disse que gostava, e com algumas fotos, calculamos o resultado do teste. Mas você não precisa se prender a apenas um, você pode mesclar mais de um estilo, mas só tem cuidado para não gerar incoerência entre os elementos e acabar poluindo o ambiente.

Quarto ponto: Se seu ambiente for bem iluminado e você quiser preservar a luz natural, use cores mais claras, como tons pastéis, pois elas absorvem menos a luz, e dão um toque delicado de cor. Mas se você quiser absorver mais a luminosidade (uma coisa muito útil para quem tem uma casa muito clara e tem astigmatismo, como eu e meu esposo), você pode optar por uma cor fria mais escura, como um azul petróleo ou cinza chumbo. Essas cores são coringas e se combinam muito bem com outras cores dentro do ambiente. Você pode complementar com cores mais alegres nos objetos para gerar um contraponto. Ou, caso você seja mais retraído, que gosta de ambientes mais calminhos e que lembram dia de chuva (que nem eu), pode usar cores neutras e frias nos objetos, como um tecido cor camurça no sofá e objetos brancos e em tons mais frios, mesclando claro e escuro. 

Mas não esqueça: leve sempre em consideração o mobiliário que você tem, as cores dos materiais que os compõem e se você vai mantê-los ou substituí-los. 

Mas me conta: o que você gosta na sua casa? Qual seu estilo? Deixa aqui nos comentários 😉 Compartilhe esse post com aquela sua amiga que não tem nenhuma noção de decoração, com a tia que faz um carnaval dentro de casa ou sua mãe que ainda não decidiu a cor da sala.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *