Livros para quem ama Decoração

Gente, eu, como a leitora que sou desde meus 11 anos, com a ascensão do Harry Potter na vida das crianças dos anos 90, adoro me identificar numa história. Mas, ultimamente, tenho me rendido também a livros que ensinam algo concreto, como livros de não ficção sobre design, decoração, minimalismo e outras áreas fora da minha esfera.

Como essa é a semana do Leitor, decidi, então, fazer uma pequena lista desses livros que eu já li que me inspiraram de alguma forma. Sejam personagens, sejam pessoas reais, nesses livros vocês vão encontrar alguma coisa relacionada à decoração ou arquitetura.

Não Ficção

Guia prático de Design de Interiores, da Clarisse Mancuso

Nesse livro, uma das grandes arquitetas de interiores do Brasil mostra como funciona um projeto de interiores, desde sua concepção até sua finalização, como um passo a passo, em espaços residenciais e comerciais. Também mostra ambientes presentes em uma casa do ponto de vista histórico e evolutivo.

Por que indico: mesmo para quem é leigo da área, é uma boa forma de compreender como funciona nossa área e a importância de um olhar profissional na hora de fazer ou reformar seu espaço, seja ele qual for. Essa consciência permite uma maior valorização do trabalho dos designers e arquitetos.

A mágica da arrumação, da Marie Kondo

Mesmo que você esteja vendo a série Ordem na Casa, da Netflix, na qual ela mostra seu trabalho em oito casas diferentes, recomendo que leia o livro. No livro, ela explica melhor sua filosofia e como ela a desenvolveu e a tranformou em um método tão certeiro de organização, o KonMari. Além disso, ela explica as etapas do processo e o porquê de cada uma funcionar na ordem em que está, e ela usa exemplos reais, inclusive alguns desses pessoais.

Por que indico: a Marie usa uma linguagem muito fluida e divertida para explicar seu método. Ela também mostra que nem sempre ela acertou na vida, e mostra exemplos reais de erros que ela cometeu para chegar nas suas conclusões, que a levaram a criar o método KonMari.

Menos é mais, da Francine Jay

Minimalista é ela. Nesse livro, ela mostra como ser minimalista pode ser uma experiência muito divertida e benéfica para nós e para o mundo. Ela mostra a filosofia minimalista, mostra como é ser minimalista e faz um passo a passo de como se tornar um minimalista, tudo isso com uma linguagem muito parecida com uma conversa entre amigos.

Por que indico: se você já leu A mágica da arrumação, vai perceber que existem contestações da Marie Kondo sobre algumas técnicas empregadas pela Francine Jay. Ao meu ver, isso é bom, pois mostra mais de uma possibilidade para chegar ao mesmo fim, tem uma melhor qualidade de vida por meio da organização, e, no caso da Francine Jay, algo além disso. Sem contar que a Francine é muito divertida.

Coleção Folha Grandes Designers, da Folha de S.Paulo

Nessa coleção de vinte volumes, cada um falando de um designer diferente, a Folha de S.Paulo mostra grandes obras de designer como Philippe Stark, Gio Ponti, Fernando e Humberto (Irmãos) Campana entre outros, e também suas histórias com o design.

Por que indico: além de ser uma fonte de arte rica, é um ótimo item para se tem em uma mesinha de café na varanda, para um momento de relaxamento com uma bebida quente do lado.

Ficção

O lugar de uma mulher, da Barbara Delinsky

Claire Raphael é uma mulher casada com um empresário, e ela possui como hobby reforma de móveis de vime. Tudo bem enquanto seu esposo Dennis estava crescendo profissionalmente. Até que chega o dia em que ele começa a ter dificuldades na sua empresa, enquanto Claire cresce com sua pequena empresa, e começa a trabalhar mais seriamente com seu hobby. Chegando de uma viagem de trabalho, ela encontra uma carta de divórcio que também avisa que ela pode perder a guarda de seus filhor por abandono familiar. Agora ela está sendo castigada pelo marido por ser a atual principal provedora do seu lar e ter crescido, enquanto ele descia na carreira.

Por que recomendo: a Barbara Delinsky sempre tem romances incríveis, e esse fala justamente de empoderamento feminino. Uma mulher dos anos 90, que, ao crescer profissionalmente, sofreu consequências de um marido machista.

A estrada do mar, da Barbara Delinsky

Rachel é uma pintora, que vive com suas duas filhas em uma cidade litorânea chamada Big Sur, depois de ter saído de um casamento no qual não era feliz. Jack Reacher é um arquiteto bem sucedido que nunca compreendeu o porquê de Rachel deixá-lo sem ao menos ter conversado, e se sentia injustiçado. Até que recebe uma ligação de uma amiga de Rachel informando que esta havia sofrido um grave acidente de carro e havia entrado em coma, e suas filhas precisavam do pai. Mas Jack vê sua vida virar de ponta a cabeça quando ele descobre que a Rachel escondia muitas coisas sobre ela, sobre ele e acaba conhecendo uma Rachel que ele não conhecia por meio de sua arte.

Por que recomendo: esse é um dos romances mais legais que já li, desse tipo que parece clichê, mas na verdade não é bem assim. A Rachel é uma artista plástica, enquanto Jack é um arquiteto. Rachel era o contrário de sua família rica; ela gostava de simplicidade e era como um espírito livre. Jack, como Rachel, também é o diferente, mas no sentido oposto. Eu já li esse livro umas três vezes, e eu sempre me encanto.

Reflexos – Dança dos Sonhos, da Nora Roberts

Nesse livro, temos uma arte a mais: o balé. A ex-bailarina Lindsey Dunne tem uma academia de dança na sua cidade desde que precisou sair de Cia, da qual era a primeira bailarina, depois de um acidente que sua mãe sofrera e precisava de cuidados. Em um dia de chuva em que estava muito ocupada com os preparativos das apresentações de suas alunas, foi supreendida por um carro que, de forma leve, a atropelou, mas atrasou seus planos, e quem dirigia era um arrogante forasteiro. O arquiteto Seth Bannion era novo na cidade, e era tio de Ruth Bannion, que perdera os pais havia poucos meses, e ainda gostaria de seguir seu sonho de ser bailarina profissional como a Lindsey Dunne, sua maior inspiração.

Por que recomendo: se você gosta de romances, esse é mais um dos bons. São dois livros que abordam duas mulheres que não baixam suas cabeças, e transformam seus arredores. Pode ser surpreendente.

Brincando com fogo, da Karen Kelley

Esse é um livro para quem gosta de uma história mais picante. Margherite é uma designer de interiores que vai para o casamento de Lisa, irmã de Alex, um cientista da computação mulherengo. Enquanto Lisa está em lua de mel, Margherite foi designada para decorar seu apartamento. Para sua supresa, Alex passaria a semana com ela. Ela o queria, mas Lisa o fez jurar que ela ficaria longe dela. Essa vai ser uma looonga semana.

Por que recomendo: esse livro é muito divertido. Para quem gosta de decoração, dá para ver um pouco da atuação na prática, misturada à tecnologia e à sedução. É o tipo de livro que não damos nada por ele, mas ele pode surpreender.

Diário de uma paixão, do Nicholas Sparks

Quem nunca ouviu falar desse, né? Para quem não ouviu, segue o resumo. Allie estava nas suas férias de verão até conhecer o Noah, que a covidou para sair. Tiveram um romance de verão, muito mais profundo do que se espera. Anos se passaram, Allie estava noiva, mas a vida deu mais uma chance para eles dois.

Por que recomendo: o Noah reconstruiu uma casa de acordo com o que a Allie queria, e ainda construiu um lindo caramanchão para ela olhar pela janela todos os dias. Quer coisa mais linda que isso?

Espero que leiam todos e outros mais que encontrarem. Apreciem a boa leitura, faça um bom café ou um bom chá e sejam felizes com seus livros lindos e cheirosos.


Curta e compartilhe:

Mais da Fulô:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *