Wabi Sabi: um ensinamento secular

Imperfeição, impermanência, incompletude. O Wabi Sabi vai de contramão ao que a sociedade comumente prega desde os primórdios da civilização. Originado do Zen Budismo, o Wabi Sabi ensina a ver beleza no que é imperfeito, a enaltecer as marcas de tempo e uso, a aceita que a vida é passageira. Busca a beleza nas coisas simples, que normalmente são despercebidas, ver beleza nas coisas mais improváveis. Para tanto, requer humildade e sensibilidade de um indivíduo.

A filosofia Wabi Sabi

O Wabi Sabi é um termo japonês que quer dizer “inquietude” e “simplicidade”, respectivamente, e está diretamente ligado ao estilo slow living (em tradução literal, “vida lenta”). Tal conceito surgiu nas tradicionais cerimônias do chá que ocorrem no Japão desde o século XVI. Lá, o “menos é mais” (já ouviu essa frase antes, no Minimalismo, lembra?). Bem como o minimalismo, o Wabi Sabi nos permite ver o essencial, o que é importante, o que é simples; além disso, essa visão se aplica, também, a nós mesmos. Aceitar nossas falhas, imperfeições e belezas singulares faz parte dessa filosofia. Nos permite encontrar paz com nosso interior e exterior.

Na tradição japonesa, se um vaso é quebrado, este é remendado, e suas rachaduras e marcas de quebra são preenchidas com pó de ouro, para que fiquem bem destacadas as suas “novas” imperfeições. O resultado disso é uma peça única, linda e com um alto valor agregado a ela.

 

Wabi-Sabi - The Art Of Imperfection
Fonte: The Zen Universe

 

Esse conceito contraria o que o modelo de sociedade atual tem como padrão. Com toda essa vida corrida, trabalho, estudos e o que mais o cotidiano nos dá, ao mesmo tempo em que isso tudo parece não satisfazer o mundo, que sempre cobra mais de nós, conseguir parar e observar a beleza do que nos cerca é um ato revolucionário e um cuidado consigo. A mudança começa de dentro para fora, e é contagiante. Passemos esse conhecimento adiante.

 

O que vocês acharam da filosofia Wabi Sabi? Conte à Fulô, comenta aqui!

 

Fontes:

MIRANDA, Bruna. A arte e a beleza do Wabi Sabi. Review Slow Living. Disponível em: <https://reviewslowliving.com.br/2016/02/17/wabi-sabi-a-arte-e-a-beleza-da-imperfeicao/>. Acesso em: 23 ago. 2018.

WABI-SABI. Wikipédia. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Wabi-sabi>. Acesso em: 23 ago. 2018.

KAWANAMI, Silvia. Wabi Sabi – A arte da imperfeição. Japão em Foco. Disponível em: <https://www.japaoemfoco.com/wabi-sabi-a-arte-da-imperfeicao/>. Acesso em: 23 ago. 2018.

WABI-SABI – The art of imperfection. The Zen Universe. Disponível em: <http://thezenuniverse.org/wabi-sabi-the-art-of-imperfection/>. Acesso em: 23 ago. 2018.

Curta e compartilhe:

Mais da Fulô:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *